segunda-feira, fevereiro 28, 2005

O político na sombra do cientista


Egas Moniz (EM), neurologista, político, ensaísta nascido em Avanca em 1874, era oriundo de família de nobreza agrária, proprietários rurais enfrentando grandes dificuldades financeiras. Após período de grande escassez de recursos, empreenderá um trajecto social ascendente que o situará na classe alta, na transição da Monarquia para a República, por via do curso universitário, do envolvimento político e da especialização médica. Dedicar-se-á também, mais tarde, ao empresariado agro-industrial com relativo sucesso. Tinha um sentido agudo das diferenças sociais e partilhava com muitos dos seus correlegionários republicanos e da dissidência progressista aquilo a que Hermínio Martins chama o “complexo iluminista”. É importante, para compreender a auto-representação de EM, descortinar como se atribui a si próprio uma predestinação de carácter místico que atravessa toda a sua narrativa, reservando-se sempre um papel de esclarecedor de auditórios e líder de grupos destacado de entre os melhores. Reunindo elementos relevantes quer do político, quer do cientista, damos conta [em artigo que pode ser lido aqui ] do que nos parece serem as três principais tendências de representação histórica de EM, discutindo dois dos mais apelativos enigmas monizianos - o político e o periférico - avançando uma hipótese de integração.

domingo, fevereiro 27, 2005

Bibliografia de Egas Moniz (1)






O autor, na capa, surge já com a qualidade de «Prémio Nobel», recém galardoado que fora nesse mesmo ano (1949). Além da referência bibliográfica que forneci, em resposta ao comentário de José Marques no post anterior, eis a aparência de um exemplar que me foi emprestado pelo Dr. Armando Myre Dores e pela Dra. Lina Seabra Dinis, parte do espólio do pai desta última, o notável psiquiatra Seabra Dinis. Aproveito para agradecer publicamente a ambos pela preciosa ajuda.

sábado, fevereiro 26, 2005

No 1º Centenário do nascimento de Guerra Junqueiro



«Sou dos arredores do Porto, pois a minha aldeia, Avanca, não fica distante, e a vida dos meus conterrâneos e a minha, quando ali resido, está ligada a esta laboriosa cidade de brilhantes tradições, como sendo a sua metrópole.»

(Egas Moniz)

Figura polifacetada


Político, cientista, ensaísta, conferencista, industrial, é também um testemunho peculiar de várias transições que se operaram, na mudança do século XIX para o século XX; da Monarquia para a República e, pouco depois, da República para a ditadura fascista de Oliveira Salazar. Testemunho, igualmente, das duas Grandes Guerras (1914-18 e 1939-45), de grandes transformações geoestratégicas, e de invenções científicas e tecnológicas que vieram revolucionar as práticas médicas. Controverso, mas pouco ou nada inclinado à discussão pública dos seus trabalhos; determinado, prosseguindo uma estratégia bem estruturada; hábil na gestão das suas obras e da sua imagem, Egas Moniz é uma daquelas figuras em que nos podemos apoiar para obter um ângulo significativo da história de vários momentos de transição. Adiantaremos, em próximos posts, links, textos on-line e outros escritos relevantes para a compreensão deste médico de Avanca, que foi também o primeiro cientista português galardoado com o Prémio Nobel da Medicina ou Fisiologia.

sexta-feira, fevereiro 25, 2005

O novo Blogue  «Egas Moniz»

A iniciativa deste blogue configura um convite a todas as pessoas cujos trabalhos, interesses, preferências ou conhecimentos, concorram para a melhor compreender a figura, a época, o ambiente e outros factores que nos podem ajudar a destacar Egas Moniz, nas suas dimensões complementares, como um ângulo designado para melhor o entender.

Assim. quaisquer discussões, contribuições, notícias, referências, links, e etc. são bem vindos.

Manuel Correia